Só você.

17:18
E há alguns dias, algo dói em meu coração. Algo perfura a minha mente e faz um barulho ensurdecedor.
Eu lhe vejo, e vejo os erros que eu cometi. Tento esquecer tudo e ver o tempo que eu lhe amava em segredo. Como se eu, por eu mesma, já completasse minha alma.
Ah! E parece que eu preciso sofrer mais um pouco…
Abro meu e-mail, sigo até a pasta “Guardar” e lá está! Lá se encontra um tesouro. Dentro do meu céu? Aquele nosso céu? Seu céu! E, suas palavras, acho que só fazem o verdadeiro efeito agora. Eu choro, talvez como você tenha chorado naquele dia.
Tudo dói. Me sinto infeliz por ter feito tanta coisa. Já conversamos sobre isso, já chegamos a conclusões certas. Certas, para aquele dia, aquela hora… Tudo parece invertido agora!

Perdoe-me! Estou sendo sincera.

A Julieta saiu, como você havia falado. Não por sua causa, não por minha causa. Você bem sabe, que não tinha nenhuma relação com tudo o que estava acontecendo. Talvez, essa menina abaixo, seja a Julieta fugindo ou correndo para seus braços.
Não há o que falar. Perdoe-me (mais uma vez) por ter ficado observando tanto, por ter falado por último, por ter colocado um silêncio provisório.
Acredite, esse é o post mais sincero e mais impulsivo!
E, o mais importante: esse é realmente endereçado a VOCÊ! Por não ter a certeza se você ainda caminha por aqui, fico na incerteza, “pendurada tão alto, em uma corda tão frágil”.
.
Será que suas palavras mudaram?
.
.
.
Farewell.
[10]
(Milena Buarque)
Anúncios

Agora, não sei como bate um coração, mas certamente, sei como um se parte.
Lembra-se de quando eu te abraçava para compartilhar de cada respiração sua? Como posso esquecer! Você é cada lágrima que eu choro. Sei que está voltando, você nunca me deu um beijo de adeus…

.
.
.

Apenas um dia diferente…

Já pensei em dividir esse post em 4 partes! Meu domingo foi tão estranho;
Um dia cheio, imprevisível, ótimo, inesquecível, triste…

Primeiro:
FELIZ DIA DOS PAIS para todos os pais do mundo! 🙂 Rs.
Em especial: Parabéns ao meu pai-lindo!
Afinal, toda garotinha precisa do seu herói! HAHAHA.

Pai, te amo!

Segundo:
Bom, como já falei acima, meu dia foi incrível e ao mesmo tempo, não tão bom!
Hoje fui em uma Feira de Estética no Complexo do Anhembi com meus pais. Foi muito legal, principalmente por ter um show – detalhe: eu não sabia! – da Família Lima! Amo demais o grupo, e foi sensacional curtir o show surpresa (pra mim, né?!)! Foi lindo!
Chorei, gritei, fotografei! HAHAHA. Adoro música instrumental, adoro as montagens das músicas! E teve uma hora… Que o Amon tocou pra mim. :~ Rs. Detalhes…
Saindo do Anhembi, fomos visitar uma prima que está com o namorado no hospital Sírio-Libânes! Essa foi a parte ruim do meu dia…
Chorei de alegria e meia hora depois, estava chorando de tristeza. Ele está com câncer.
Enfim, não vou entrar nesse assunto, minha cabeça já ‘girou’ demais nesse fim de tarde! Pensei muito no valor que damos à vida…
A vida é tão valiosa, tão frágil, efêmera, imprevisível (de novo)! Não temos o dinheiro suficiente para comprá-la e mesmo se pudessemos comprar, ela continuaria sendo desse mesmo jeito…
O jeito é aproveitar, é aprender a cada dia e saber balancear o lado material e espiritual!
Viver é uma arte e não vemos isso!
Despeço-me por aqui! O que foi dito acima, está bem mais simples do que eu pensei em colocar aqui.
Mas, foi tudo com um coração confuso, porém leve. Se isso for possível…
.
.
.
Farewell!
PS: Fotos do show logo mais!
(Milena Buarque)

(Teoria da) Relatividade!

Eu já falei sobre sentidos aqui. Eu não faço sentido, existem coisas que acontecem e não têm o menor sentido. E, às vezes, eu me pergunto se minha vida possui algum sentido; Ah! Isso sim, (por favor!) deve ter alguma relação com o sentido!

Sentido: adj. Magoado, melindrado, ressentido. / Impregnado de sentimento. / Pesaroso, triste, compungido: um olhar sentido. / S.m. Faculdade de receber impressões externas por meio de órgãos sensoriais: o sentido da visão. / Faculdade de sentir ou perceber: o sentido divinatório. / Significado, acepção. / Direção, rumo. / Propósito, objetivo.

Bom, neste caso, refiro-me às últimas definições!
O sentido é relativo. Logo, lembro-me, que a loucura é relativa – assunto para um próximo post – também.

Ah! Essa ‘balela’ de relatividade tem qual sentido (HAHA. ¬¬), hein?
Sinceramente, não sei! Estou me sentindo estranha. Vontade de pular e gritar (isso não é estranho, pois, digamos, que faça parte da minha rotina!), correr, sentir o vento no meu rosto, passando pelos meus cabelos e sentir a minha respiração ir embora… Ficar poucos segundos sem respirar e…
Vontade de deitar em um gramado, de curtir uma música; Não! Não em um MP3(4,5,6,7,8,9…), nenhum aparelho! Nem o canto dos pássaros. Eu gostaria de ouvir as vozes das nuvens, o susurro dos ventos. Descobrir os seus segredos…
VIDA! Gostaria de me sentir viva! Nós temos essa certeza, mas eu queria que algo me desse essa certeza. Ter uma sensação de pausa. PAROU. A respiração pára, não preciso mais dela, deito em um gramado e o vento junto com suas amigas, as nuvens, me falam que eu estou viva e porquê eu preciso estar.
Acho que esse pequeno – a duração das coisas também é relativa. Rs. – momento seria o suficiente para dar um outro sentido a minha vida!

Apenas sensações que passam pelo meu corpo, pensamentos que passam pela minha mente… Enquanto não deito em um gramado e desligo-me de tudo, somente imagino e com a ajuda dos meus (5) sentidos acho uma outra direção.

Sempre tento me lembrar: NEM TUDO PRECISA SER DIFÍCIL! (Até porque, também é relativo. ¬¬)
Você que faz a sua felicidade, você que sabe onde a guardou. Nunca nos devemos esquecer disso! As nossas escolhas, são inteiramente nossas e devemos nos responsabilizarmos por estas.

Farei minhas escolhas! Nem tudo precisa ser difícil… Nem tudo precisa ser difícil… (…)

(Milena Buarque)
PENSEIRA RÁPIDA:
1) Finalmente venci a batalha com meu MP4! Estou passando minhas músicas…
2) Hoje tem Ceret com o pessoal! Fotos, vídeos, risadas, nostalgias, grama (Opa! Estou precisando… Rs.)…
3) Será que chove hoje?
4) Ansiosa para a estréia da peça!
5) Chega de férias-suínas! ¬¬


“Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis. Já fiz coisas por impulso, já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.
Já abracei pra proteger, já dei risada quando não podia, fiz amigos eternos, amei e fui amado, mas também já fui rejeitado, fui amado e não amei. Já gritei e pulei de tanta felicidade, já vivi de amor e fiz juras eternas, “quebrei a cara” muitas vezes! Já chorei ouvindo música e vendo fotos, já liguei só pra escutar uma voz, me apaixonei por um sorriso, já pensei que fosse morrer de tanta saudade e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)! Mas vivi! E ainda vivo! Não passo pela vida… E você também não deveria passar! Viva! Bom mesmo é ir à luta com determinação, abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é MUITO para ser insignificante.”

(Chaplin. ♥)